Nossas dicas para melhorar a qualidade do seu sono.

Como escolher o colchão certo

Nosso mercado disponibiliza diversas opções de colchões, para sua escolha deve-se levar em conta o peso da pessoa, conforto e a qualidade.

Quando falamos de peso, os colchões de mola não possuem densidade, portanto o mesmo é adequado para pessoas que pesam entre 1kg até 150kg. Ele é adaptável ao corpo, permitindo uma posição anatômica correta. Em relação à qualidade e conforto cada pessoa tem uma preferência por conforto própria, alguns preferem colchões firmes, outros mais macios, cada tipo de molejo proporciona um grau diferente de firmeza.

É importante fazer os testes deitando nos colchões para saber qual vai ser o mais confortável. Verifique se o material não causa desconforto.

Em relação à coluna a mesma deve ficar alinhada, os ombros e os quadris devem acomodar perfeitamente. Quando o colchão é muito macio, o mesmo perde a resistência com o uso, causando deformações na coluna vertebral. Já quando o colchão é duro, ele provoca pressão nos pontos de apoio, prejudicando a circulação e desalinhando a coluna.

Vale lembrar que a sensação de conforto vai ser de acordo com o biótipo da pessoa, quanto mais pesada maior a sensação de maciez.


A importância de um bom travesseiro

Uma recente pesquisa realizada pelo Hannover Medical School, na Alemanha, e publicada no jornal científico International Journal of Rehabilitation and Research, indica que dores na coluna, no pescoço, torcicolo e cansaço podem ser conseqüências de uma noite mal dormida com um travesseiro inadequado.

A pesquisa reuniu 149 pessoas que sofriam com dores na coluna cervical para um teste: um grupo utilizou o travesseiro considerado correto e o outro utilizou o travesseiro habitual. Depois de um ano, o grupo que utilizou o travesseiro correto deixou de sentir os desconfortos na região do pescoço e passou a acordar mais descansado. “Esse desconforto tem reflexos no dia a dia e pode trazer problemas mais sérios, influindo na qualidade de vida da pessoa. O travesseiro inadequado pode provocar, ainda, dormência nas mãos. A longo prazo, pode trazer dor crônica nas costas, artrose, pequenos desgastes nas vértebras, e desvio na coluna.

O uso do travesseiro inadequado faz com que a pessoa acorde com aquela sensação ruim de que não dormiu bem, não descansou. É importante observar, no entanto, que esses sintomas são também muitas vezes causados por outros fatores como genética, erros de postura, obesidade, falta de atividade física e movimentos repetitivos”, explica Eduardo Sadigurschi, fisiatra e reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

O médico do CREB explica que a forma correta para dormir é de lado, pois assim a coluna permanece alinhada. “As pernas devem estar dobradas, com os joelhos flexionados, em posição fetal, o que ajuda a aliviar a tensão da lordose lombar - aquela curvatura logo acima do quadril”, ilustra ele, pontuando que dormir sem travesseiro é tão ruim quanto dormir com o travesseiro errado. “As pessoas que tem problemas para respirar ou refluxo, por exemplo, devem optar por modelos que mantenham o corpo mais elevado, para evitar um mal estar durante a noite. Basicamente, o mais importante é saber se o modelo escolhido ajuda a relaxar e não força a coluna, mas do que ele é feito também é um dos pontos a ser considerado. Quem tem alergia deve buscar tipos específicos. É preciso que o material permita ventilação, principalmente para quem transpira muito durante a noite”, explica.

O Dr. Eduardo Sadigurschi lembra que travesseiros devem ser trocados regularmente, pois tem prazo de validade de uma dois anos.

Fonte:http://tecnippon.blogspot.com.br/2010/03/uma-recente-pesquisa-realizada-pelo.html


O sono normal

O sono é um estado transitório e reversível, que se alterna com a vigília (estado desperto). Trata-se de um processo ativo envolvendo múltiplos e complexos mecanismos fisiológicos e comportamentais em vários sistemas e regiões do sistema nervoso central. São identificados no sono dois estados distintos: o sono mais lento, ou sono não REM, e o sono com atividade cerebral mais rápida, ou sono REM (do inglês, movimentos rápidos dos olhos). O sono não REM é dividido em três fases ou estágios, segundo a progressão da sua profundidade. Já o sono REM caracteriza-se pela atividade cerebral de baixa amplitude e mais rápida, por episódios de movimentos oculares rápidos e de relaxamento muscular máximo. Além disso, este estágio também se caracteriza por ser a fase onde ocorrem os sonhos.

Em um indivíduo normal, o sono não REM e o sono REM alternam-se ciclicamente ao longo da noite. O sono não REM e o sono REM repetem-se a cada 70 a 110 minutos, com 4 a 6 ciclos por noite. A distribuição dos estágios de sono durante a noite pode ser alterada por vários fatores, como: idade, ritmo circadiano, temperatura ambiente, ingestão de drogas ou por determinadas doenças. Mas normalmente o sono não REM concentra-se na primeira parte da noite, enquanto o sono REM predomina na segunda parte.

Várias funções são atribuídas ao sono. A hipótese mais simples é a de que o sono se destina à recuperação pelo organismo de um possível débito energético estabelecido durante a vigília. Além dessa hipótese, outras funções são atribuídas, especialmente ao sono REM, tais como: manutenção do equilíbrio geral do organismo, das substâncias químicas no cérebro que regulam o ciclo vigília-sono, consolidação da memória, regulação da temperatura corporal, entre outras.


Dicas para preservar o sono

  • Ter horários regulares para dormir e despertar.
  • Ir para a cama somente na hora dormir.
  • Ter um ambiente de dormir adequado: limpo, escuro, sem ruídos e confortável.
  • Não fazer uso de álcool ou café, determinados chás e refrigerantes próximo ao horário de dormir.
  • Não fazer uso de medicamentos para dormir sem orientação médica.
  • Se tiver dormido pouco nas noites anteriores, evite dormir de dia.
  • Jantar moderadamente em horário regular e adequado.
  • Não levar problemas para a cama.
  • Realizar atividades repousantes e relaxantes preparatórias para o sono.
  • Ser ativo física e mentalmente.

Fonte:http://www.sono.org.br